fbpx
(11) 5083-6934 # 5083-5995 contato@teresaembirucu.com.br

As informações ainda são transitórias sobre a infecção e o comportamento do vírus na gravidez e no aleitamento materno. Não existem estudos científicos suficientes. Muitas informações são baseadas em infecções virais que antecederam o COVI-19, como o H1N1. 

Pela WHO (Organização Mundial de Saúde), o aleitamento materno não precisa ser contra-indicado para aquelas mulheres que estão em bom estado geral, mantendo as devidas precauções:

– Usar máscara N95 durante o aleitamento

– Lavar as mãos com água e sabão antes e após as mamadas

– Lavar as mãos com água e sabão antes e após manipularem mamadeiras, bicos e bombinhas de leite 

Pelo CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) Americano, o aleitamento materno deve ser discutido com a mãe, considerando sua vontade e disposição para seguir todas as orientações.  Visto que pela experiência com outros vírus respiratórios, estes não são transmitidos através do leite e que avaliando os benefícios do aleitamento materno (como transferir ao bebê proteção contra outras doenças), se a mulher concordar, deve amamentar seu filho .

Pelo CDC Chinês, o aleitamento materno deve ser contra-indicado por ainda não existir dados suficientes para garantir que não ocorre transmissão e o neonato deve ser separado da mãe. Sugerem só liberar o aleitamento se a pesquisa com PCR-RT no leite for negativa. 

Não deixe de conversar com seu obstetra e o médico infectologista que estiver acompanhando para se sentir segura na tomada de decisão. 

 

Fonte: febrasgo.org.br

InstagramFacebookWhatsApp