fbpx
(11) 5083-6934 # 5083-5995 contato@teresaembirucu.com.br

A rotina ginecológica já começa com uma consulta anual com o ginecologista. Durante a consulta, é realizada a anamnese, que é um questionário sobre os dados de saúde da mulher: ginecológicos, sexuais e obstétricos, assim como os antecedentes clínicos, cirúrgicos, familiares e hábitos de vida. Em seguida, a mulher deve passar por um exame físico. O exame físico inclui principalmente a avaliação das mamas, abdômen, e dos órgãos genitais. O médico pode olhar a vulva e passar o espéculo vaginal para observar as paredes da vagina, as secreções e o colo uterino. Depois, pode complementar o exame ginecológico com o toque vaginal. Através da palpação com os dedos, é possível sentir o útero e os ovários. 

Exames ginecológicos

Terminados a anamnese e o exame físico, o ginecologista pode solicitar exames mais específicos, considerando as queixas e os achados durante a avaliação física. 

Ainda durante a consulta, o ginecologista pode já colher o Papanicolau se a mulher:

  • não tiver corrimento
  • não tiver sangramento
  • não tiver tido relação sexual nas últimas 48 horas
  • não tiver usado creme ginegológico nas últimas 48 horas

Os principais exames da rotina ginecológica são:

  • Papanicolau: prevenção de câncer de colo uterino
  • Colposcopia e Vulvoscopia: complementam o Papanicolau para o rastreamos de câncer de colo uterino, vulva e vagina 
  • Mamografia:  exame de rastreamoento para câncer de mama

O ginecologista é o medico clínico da mulher. Então, na maioria das vezes, exames de sangue para avaliar anemia, perfil de gordura, função renal, função hepática, hormônios e as sorologias para doenças sexualmente transmissíveis e exames de urina também são solicitados. As ultrassonografias de mama e pélvica (ou transvaginal) não são exames de rastreamento de câncer. Mas, geralmente, são os exames pedidos para complementar a avaliação das mamas, útero e ovários.

Outros exames: mais complexos e invasivos

Para aquelas mulheres que estão na transição para menopausa ou já estão na menopausa, a densitometria mineral óssea também é um exame importante para saber o risco de osteoporose (porque aumenta o risco de fratura óssea). 

Exames de ressonância magnética e histeroscopia não são exames de rotina. São exames solicitados em casos de suspeitas mais específicas, assim como outros mais complexos e invasivos.
Importante que durante a consulta, a mulher seja incentivada a fazer o autoexame das mamas, a criar o hábito de olhar a vulva com um espelho e a conhecer seu próprio corpo.

InstagramFacebookWhatsApp