fbpx
(11) 5083-6934 # 5083-5995 contato@teresaembirucu.com.br

Quanto tempo demora o tratamento com laser vaginal?

O laser vaginal é realizado no próprio consultório ginecológico. O tempo de aplicação do laser varia em torno de 25 a 35 minutos, mas depende da dinâmica de cada profissional. Geralmente são realizadas três sessões, sendo que o intervalo de tempo entre cada sessão pode ser de 4 a 6 semanas.

Cada caso deve ser individualizado e analisado para entender qual a necessidade do tratamento e programar a quantidade de sessões, às vezes é necessário um número maior ou menor de procedimentos. A resposta do tecido vaginal ao mecanismo de ação do laser pode ser preservada, aparentemente, até um ano. É o que diz alguns estudos científicos que avaliam o uso do laser ginecológico.

Preciso tomar anestesia para realizar o laser vaginal?

O laser vaginal aplicado dentro da vagina é bem tolerado e não precisa de anestesia. Quando o laser é realizado na vulva, na parte externa, a paciente sente como se fossem “agulhadas” e o incômodo é desnecessário. Na região da vulva, é usado anestésico tópico (em forma de gel anestésico, sem agulha) e deve ser aplicado alguns minutos antes do procedimento sob a orientação médica.

Posso ter relação sexual após a aplicação do laser vaginal?

A aplicação do laser vaginal causa um dano térmico (devido ao aquecimento do próprio laser) e um processo inflamatório no tecido vaginal. Geralmente, os sintomas de ardência, coceira, vermelhidão e inchaço ficam até 72 horas. A maioria dos estudos científicos que avaliam o uso principalmente do laser de CO², sugerem que a mulher não deve ter atividade sexual entre 72 horas até sete dias após, pelo risco de sangramento, dor e infecção.

Quais as complicações que posso ter com o laser vaginal?

Os principais sintomas que a mulher apresenta após a aplicação do laser são calor, ardência, vermelhidão, coceira, incômodo ao urinar, aumento da secreção vaginal (às vezes com tom rosado) e inchaço.

As complicações com o laser são raramente relatadas nos estudos clínicos. Todavia, as mais citadas são: queimadura vaginal, cicatriz, estreitamento vaginal excessivo e dor.

Com quem eu posso fazer o laser vaginal?

A aplicação do laser vaginal deve ser realizada idealmente por profissional médico que tenha recebido treinamento e tenha habilidade para o procedimento. Importante ser avaliada antes da sessão com laser, em consulta médica, para discutir a indicação, saber se não tem contra-indicação, ser orientada quanto ao tratamento e seguimento após o procedimento.

Em que situação não posso fazer o laser vaginal?

O laser vaginal não deve ser realizado em mulheres grávidas ou com suspeita de gravidez. Não existem estudos clínicos com teste de segurança do laser em mulheres grávidas. Se a mulher estiver com alguma infecção ativa na vulva (por exemplo, HPV ou herpes), infecção vaginal (corrimento causado por fungos ou bactérias), infecção urinária, em tratamento com imunossupressores (tipo quimioterapia ou uso crônico de corticoide), em uso de anticoagulantes (remédios para “afinar o sangue”) ou alguma doença grave, ela não deve iniciar o tratamento com laser vaginal.

InstagramFacebookWhatsApp